Antes de falarmos sobre Branding, precisamos definir o que é marca. Marca não é um logo! De todas as definições, acredito que a melhor seja a de Marty Neumeier que afirma que:
 "marca não é aquilo que você diz que ela é, marca é aquilo que as pessoas dizem sobre ela".
Para deixar essa definição mais clara, vou pedir pra você pesar na marca Apple. Certamente você não se lembrará apenas do logo (a maçã mordida), mas também dos seus produtos consagrados (iPhone, iPad, Macbook, iMac, etc.) e, pra quem é cliente da marca, certamente se lembrará também da qualidade dos serviços prestados pela empresa. Essa percepção do território da marca (produto, serviço, atendimento, pós-venda, assistência, comunicação, etc) constrói  na mente das pessoas o que é a marca Apple.
"Se você não sabe onde quer chegar, qualquer caminho serve." Lewis Carroll
Marcas que não tem um propósito e não ajudam a melhorar a vida das pessoas são marcas sem alma e o seu futuro não é nem um pouco promissor. Portanto, uma marca precisa saber quem ela é, qual o seu DNA, qual sua essência e como poderá impactar positivamente a vida do seus clientes e colaboradores. O propósito é como uma bússola que direciona todas as ações internas e externas de uma marca para que ela seja mais coerente, mais humana, mais transformadora e relevante na vida das pessoas. Em seu livro PROPÓSITO, Joey Reiman, discorreu assim sobre a importância do Propósito nos modelos de negócio vigentes:
"O comércio não mais se baseará em transações, mas sim em transformações; passará da competição à cooperação, e deixará de esperar algo para oferecer algo. Dessa maneira, uma organização do século XXI vai desenvolver a humanidade aos negócios". 
Bom, agora que você já sabe o que é Marca, vamos entender o que é Branding. Gestão de Marca ou Branding é o conjunto de estratégias que irão garantir que a promessa feita por uma marca seja entregue com coerência em todos os pontos de contato.
Com o tempo, o Branding, além de direcionar, também aumentará o valor da marca (brand equity) que, mesmo sendo intangível, resultará no aumento real no valor da empresa (em caso de venda) e também nas margens de lucro. Afinal, quanto maior a relevância e reputação de uma marca, maior será o valor que os clientes estarão dispostos a pagar por ela.
O Branding, ao contrário do que muitos pensam, é tão eficaz em grandes corporações como em micro, pequenas empresas e até mesmo em marcas pessoais (Personal Branding). E então, por que esperar mais tempo para aplicar o Branding em seu negócio?

As etapas do Branding

- Diagnóstico da marca: nessa etapa será feita uma imersão na empresa para que seja revelada a sua proposta de valor e seu DNA. Em caso de novas marcas, ou de reposicionamento, participaremos da definição da proposta de valor e DNA.
- Estratégias de marca:  Esse etapa é fundamental porque definirá o Propósito da marca que se fará presente através de um manifesto e da frase que será a essência da marca.
- Design de Identidade visual de marca e comunicação: essa é a fase onde será definido o território da marca, sua assinatura visual, sua identidade, seu tom de voz, seu estilo fotográfico. Ao fim dessa etapa teremos os elementos necessários para finalizar o Brand Book, ou livro da marca, onde toda a normatização da marca será exposta de forma clara e organizada. O Brand Book é um documento imprescindível para que a gestão da marca seja efetiva, interna e externamente.
- Ativação do Branding: a ativação deverá ocorrer de dentro para fora. Ou seja, primeiro a marca deverá ter sua cultura assimilada pelos gestores e colaboradores para depois ser lançada no mercado. O branding só será efetivo através da constante gestão da marca em todos os seus pontos de contato.
Back to Top